Finalmente a carta de condução: Agora, Lauritz Harms já pode conduzir o seu LPS 2232

Veículo clássico

Próxima geração.

LPS em vez de Actros: Lauritz Harms herdou do seu pai a paixão pelos camiões clássicos da Mercedes‑Benz. Agora pode ele próprio conduzi-los.


A série.

O V10 do tipo OM 403 arranca em 1970 através da série cúbica. Com a introdução do motor, também a cabina é remodelada, podendo agora bascular para efeitos de manutenção. Um ano após o veículo basculante e a carroçaria de plataforma, o motor de dez cilindros passa também a estar disponível em tratores de semirreboque de três eixos. Para a utilização em todo o terreno leve, está disponível uma versão com a fórmula dos eixos de 6×4, em que ambos os eixos traseiros são acionados.

O veículo.

Lauritz Harms vai com tudo. Fazer inversão de marcha com o LPS 2232 juntamente com o semirreboque de três eixos tem que se lhe diga. Apesar de o trator de semirreboque, construído em 1973, já ter direção assistida, isto implica ainda trabalho árduo – sobretudo devido aos espelhos retrovisores exteriores minúsculos, comparados com os atuais.

Surpreendente é o facto de alguém com 21 anos estar sentado ao volante de um camião com quase 50. Na verdade, quando Lauritz veio a este mundo, já o LP era um clássico. Mas quem ficar a conhecer a família Harms, compreende-o melhor. O pai, Uwe, vive a paixão por camiões históricos há décadas, e Lauritz fez parte disso desde o início. «Quando íamos viajar, era a cadeira de criança que ocupava o lado do acompanhante», recorda-se Uwe Harms.



Fotografia: Christoph Börries
Vídeo: Alexander Tempel

18 comentários