4-Xtremes – Parte 30: A Transilvânia manda cumprimentos

Série: 4-Xtremes – The World Tour

Tudo menos ursos a bordo!

Uma roda gigante subterrânea, uma exposição «assustadora» e olhos nos olhos com uma família de ursos – a Roménia tinha algumas surpresas preparadas para os Kammermanns.

De viagem na Transalpina.


Gostamos de classificar um destino de viagem como «variado». Mas a Roménia vai muito além disso. As experiências que «levamos» connosco após apenas duas semanas são invulgares até para nós.

Do ponto de vista da condução, a Hungria já tinha muito a oferecer, mas a Roménia ainda subiu o nível. Vê-se muita coisa, mesmo que nos limitemos às estradas principais. Passámos por aldeias em que vimos praticamente todos os estilos de construção, desde a casa de madeira à mansão ornamentada com vários andares. Também nos surpreendeu o facto de as carroças de cavalos ainda fazerem obviamente parte da paisagem rodoviária.


Vistas abissais.

E nós queríamos atravessar desfiladeiros sem falta. Já pela razão de escapar, mais uma vez, ao calor persistente. As mais conhecidas estradas de montanha da Roménia são a Transalpina e a Transfagarasan. Começámos por nos decidir pela Transalpina. Aqui, normalmente, só vemos pequenos veículos todo-o-terreno a circular. Mas o Mike estava confiante que o Axor também não nos deixaria ficar mal. E teve razão. Acrescente-se que esta viagem, durante a qual pude olhar mais que uma vez diretamente para o precipício do lado do acompanhante, me proporcionou inúmeras descargas de adrenalina. Mas, no final, o pôr do sol que pudemos apreciar no topo do desfiladeiro compensou-nos por todos os esforços do dia. Também o nosso local de pernoita foi invulgar: ao lado da estação superior de um teleférico – quantas vezes se tem uma oportunidade destas?


O segundo passeio de montanha levou-nos ao desfiladeiro de Transfagarasan com as suas serpentinas infinitas. O Axor fez a subida sem esforço: basta selecionar a relação de transmissão adequada e rolar a baixa velocidade. No caminho de regresso ao vale, o Mike precisou de ter o cuidado de não deixar sobreaquecer os travões, já que não temos retarder. Mas correu tudo bem.

Mas voltemos ao trajeto de subida: vindo de sul, atravessa-se uma albufeira junto ao Transfagarasan – para nós, o local ideal para fazer uma pausa para almoçar. Deixámos sair a Aimée, abrimos as portas como fazemos sempre que está bom tempo e começámos a cozinhar. Ao mesmo tempo conversávamos ainda sobre os avisos de ursos ao longo do nosso itinerário. Nesta estrada movimentada nunca teríamos contado com um urso. Pois estávamos enganados. Pouco depois – felizmente a Aimée já estava novamente no camião – olhámos pela porta e não queríamos acreditar no que estávamos a ver. Diretamente atrás do Axor estava uma mãe urso com dois filhotes! Parámos de respirar por uns momentos. Mas logo decidimos: fechar rapidamente as portas e arrumar a comida, já que não queremos atrair a família felpuda.


Fora de época: na Roménia, as carroças de cavalos fazem parte da paisagem rodoviária.
Fora de época: na Roménia, as carroças de cavalos fazem parte da paisagem rodoviária.
Uma pausa para Andrea e Mike…
Uma pausa para Andrea e Mike…
… e um banho refrescante para a Aimée.
… e um banho refrescante para a Aimée.
Diversão ao volante para o Mike e o Axor.
Diversão ao volante para o Mike e o Axor.
Valeu a pena o esforço.
Valeu a pena o esforço.

De coração acelerado, tirámos algumas fotos. Mas onde é que deixámos o gás pimenta? Relatos de ursos que arrombaram autocaravanas trazem cenas vívidas às nossas mentes. Mas a Dona Ursa e os seus filhotes foram compreensivos e nós acelerámos dali para fora.

Quando chegámos ao topo do desfiladeiro, não acreditámos no que estávamos a ver: parece que não fomos só nós a procurar as montanhas para fugir do calor. Inúmeros carros estacionados junto à estrada, pessoas a atravessar a faixa de rodagem. Finalmente, bem no topo aguarda-nos um túnel assinalado com uma altura de 3,60 metros. Mas o nosso Axor tem 3,70 metros de altura. Ainda bem que fizemos pesquisas antes de viajar e sabíamos que já houve até veículos mais altos a passar pelo túnel. Mesmo assim tivemos de ser cuidadosos, já que o túnel arredondado é bastante escuro e de vez em quando há vigas de reforço em aço a sobressair do teto.


Poder-se-ia dizer que só falta o botão na orelha, mas há que tomar cuidado.
Poder-se-ia dizer que só falta o botão na orelha, mas há que tomar cuidado.
Grande estação de comboios no topo do desfiladeiro de Transfagarasan.
Grande estação de comboios no topo do desfiladeiro de Transfagarasan.
A Roménia tem algumas delícias preparadas também a nível arquitetónico.
A Roménia tem algumas delícias preparadas também a nível arquitetónico.
Um olhar para 112 metros de profundidade.
Um olhar para 112 metros de profundidade.
Aqui tanto se podem realizar viagens de barco como…
Aqui tanto se podem realizar viagens de barco como…
…jogar minigolfe.
…jogar minigolfe.
Tem charme, mas também muitos turistas: a cidadezinha de Sigisoara.
Tem charme, mas também muitos turistas: a cidadezinha de Sigisoara.
Um cenário idílico para pernoitar, não tivesse sido a trovoada…
Um cenário idílico para pernoitar, não tivesse sido a trovoada…

Um local aterrador.

Os Cárpatos, a Transilvânia, palácios e castelos envoltos em segredos – mesmo sem a visita de ursos, a Roménia oferece inúmeras possibilidades para dar asas à imaginação. Não queríamos deixar de viver isso e resolvemos visitar o castelo de Hunedoara – em Português: Castelo do Mercado de Ferro. Que outro sítio senão este como local ideal para uma exposição relacionada com tortura? O estabelecimento ao lado do castelo não poupa efeitos visuais e sonoros – por mais que uma vez ficámos com os pelos eriçados. É melhor poupar-vos às fotos do local.

O programa para contrastar com o anterior aguardava-nos na Valáquia, sob forma de um convento feminino do séc. XVI, cujas instalações têm muito charme. Também ficámos contentes por haver mais um local exótico de pernoita à nossa espera em Alba Iulia – ou Alba Júlia – diretamente ao lado das muralhas da fortaleza. E quem é que haveríamos de encontrar lá? Um RoadStar romeno! Mas que bela surpresa!


112 metros debaixo de terra.

Mas já é hora de seguir viagem – o nosso próximo destaque leva-nos bem fundo debaixo de terra, à antiga mina de sal de Turda, a uns incríveis 112 metros abaixo da superfície terrestre! Após a queda do Socialismo, as galerias foram transformadas em mina turística. De loucos, o que nos é aqui proporcionado: os visitantes podem jogar ténis de mesa e minigolfe ou andar na roda gigante! Na Iosif Mine de formas cónicas até se pode andar com um barco a remos à volta de uma ilha de sal. Cá em baixo sentimo-nos como se estivéssemos noutro planeta e no fim acabamos por voltar à realidade terrena. 

Após paragens intermédias na cidade de Sigisoara e no castelo de Rupea montamos o nosso acampamento num planalto junto de um vulcão extinto. Nos seus flancos surgiu recentemente uma pequena aldeia onde está desde maio a ser rodada uma série de TV do género Western. Infelizmente, o acesso está bloqueado, pelo que ficamos impedidos de fazer mais excursões.


Em fuga da trovoada.

Só que antes do nosso repouso noturno somos obrigados, infelizmente, a desocupar o nosso local exposto. Por volta das 22h00 começa uma trovoada intensa com relâmpagos sem fim. Neste caso, um planalto como lugar de estacionamento não teria sido uma boa decisão. E assim dirigimo-nos para um pequeno vale para não sermos o ponto mais alto, e ainda por cima metálico, a fim de evitar ser atingidos por um possível raio.

Nas últimas semanas já vimos assim tantas coisas incríveis na Roménia. Estamos expectantes por descobrir o que mais o resto do país tem para nos oferecer.


4-Xtremes – The World Tour.

Uma viagem sem igual.

Andrea e Mike Kammermann passaram onze meses com o seu Axor na «4-Xtremes» Tour. Agora enfrentam um desafio ainda maior. O casal suíço irá passar três anos na estrada – e a Comunidade RoadStars poderá participar novamente! Mantenham-se sempre atualizados e não percam nenhum dos destinos deslumbrantes que fazem parte da viagem do nosso casal de aventureiros.

Encontram aqui todas as partes da série «4-Xtremes – The World Tour».


Fotografia: 4-Xtremes

11 comentários